Zumbis na natureza #2 - Formigas Possuídas

Há quem diga que o apocalipse zumbi já começou. Para alguns insetos ele já começou há muio tempo. Outro dia falamos sobre a vespa que "convida" uma barata a ir até seu ninho e dar casa e comida (literalmente!) para suas larvas. Só que esse não é o único caso de zumbis que encontramos por aí. Um deles, bem macabro, é o dos fungos que também atacam insetos, principalmente formigas. E, para comemorar a sexta-feira 13 de hoje, que tal conhecermos mais esse caso de zumbis do mundo real?

Dois gêneros de fungos se destacam por "zumbificar" as pobres formiguinhas: o Cordyceps e o Ophiocordyceps. Esses fungos infectam formigas quando elas estão caminhando pelo chão da floresta. Durante as caminhadas para a procura de alimento, os insetos acabam entrando em contato com os esporos do fungo. Como vocês devem saber, os esporos dos fungos funcionam como "sementes" desses seres (mas não confunda: as sementes dos vegetais possuem organização muito diferente dos esporos dos fungos!). Uma vez dentro das formigas eles vão começar a se desenvolver dentro delas. O pobre inseto estará carregando outro ser vivo dentro dele.

Bom, até agora esse post lembra a história do Alien, mas o Resident Evil começa agora. Com o tempo, o fungo começa a tomar posse do corpo da formiga. Ela fica desorientada, seguindo trilhas diferentes das formigas sadias. A formiga deixa de seguir suas antigas funções e passa a servir exclusivamente ao fungo, ou melhor, ele usa o corpo da pobre formiga para seus propósitos....

Depois de um tempo, o fungo faz a formiga buscar lugares mais altos: para as formigas arborícolas, galhos acima de onde elas vivem, para as terrestres uma folha maior já basta. O que importa é que seja um lugar alto. Chegando nesse local, a formiga é induzida a dar uma super mordida na folha e, depois de um tempo, morre. Geralmente a "última mordida" ocorre por volta do meio dia, mas ela morre somente à noite, ou mais tarde ainda.

Após fazer a formiga ziguezaguear por aí até chegar ao lugar alto para depois morrer, o fungo emerge do cadáver dessa formiguinha. O que vemos é o corpo de frutificação, estrutura onde estão os esporos do fungo parasita. Quando essa estrutura está madura, com qualquer ventinho os esporos são dispersos pelo ambiente, dando início a um novo ciclo para essas espécies de fungos: novas formigas, novos zumbis, maior sucesso reprodutivo.

Acredita-se que essa estratégia evolutiva muito antiga e eficiente seja uma busca pelo sucesso reprodutivo. Caso os fungos vivessem no solo ou em troncos podres (como a maioria) dificilmente seus esporos teriam o mesmo alcance. Com a "zumbificação" das formigas, o alcance é muito maior, já que ele as força a buscar lugares altos, onde as correntes de ar levarão os esporos para muito longe.

Ainda não se sabe ao certo como é todo o processo de controle mental das formigas, mas já foi observado em formigas mortas pelo fungo que seus cérebros estavam cheios de células fúngicas. Para as formigas, a única opção é se manter longe das que estão infectadas. Talvez, por esse motivo, em alguns lugares os formigueiros estão em áreas acima de onde os fungos se reproduzem.

Nesse vídeo, você pode ver como a formiga fica desorientada depois que entra em contato com o fungo. Ela escala um galho para morrer e logo depois o fungo vai emergir.


E para encerrar (e talvez deixar a coisa um pouco mais macabra), esses fungos não infectam só formigas. Muitos outros artrópodes também são vítimas deles. E todas com o mesmo propósito de "ajudar" o fungo a se reproduzir. Cuidado! Basta uma mutação e você pode ser o próximo!

Fungo Cordyceps em uma lagarta. Fonte: Dom Escobar.

Fungo Cordyceps em uma aranha. Fonte: Dom Escobar.
Zumbis na natureza #2 - Formigas Possuídas Zumbis na natureza #2 - Formigas Possuídas Reviewed by Túlio Lima Botelho on 15:00 Rating: 5

Nenhum comentário: