Metas para um candidato a prefeito #1 - Destinação final de resíduos

Decidir onde serão destinados os resíduos de uma cidade talvez seja um dos maiores desafios na área ambiental que os próximos gestores urbanos terão que enfrentar. Todos os dias são toneladas e toneladas de lixo que vão para as ruas, rios e lixões. A parcela de resíduos que vai para um aterro sanitário ou é reciclado ainda é muito pequena, embora venha crescendo pouco a pouco através dos anos.

E o próximo gestor terá muito trabalho a fazer nessa área, já que de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) até 2014 não poderá haver nenhum lixão a céu aberto no país, todas as cidades devem encaminhar seus resíduos a um aterro sanitário. E essa tarefa não vai ser nem um pouco fácil. Existem, em nosso país, cerca de 2906 lixões que devem ser erradicados até o prazo previsto na PNRS e muitos deles estão em cidades que não tem condição de construir seu aterro sanitário.


E quando falo em aterro sanitário tem que ser aquele superorganizado, com uma manta protetora do solo, escoamento de chorume e destino certo para os gases da decomposição. Não basta apenas enterrar o lixo e deixar a superfície bonitinha que não adianta nada. O que deve ser levado em conta é a impermeabilização do solo e proteção dos lençois freáticos.

Voltando às cidades, devo admitir que construir um aterro sanitário não é barato, no entanto isso não é desculpa para não fazê-lo. Uma ótima alternativa é a realização de consórcios intermunicipais para a construção deste lugar. Reunindo cidades que, sozinhas, não podem construir seu próprio aterro, este consórcio viabiliza a construção e a destinação correta dos resíduos destas cidades. É só escolher uma área adequada que fique num local favorável ao encaminhamento dos resíduos e pronto! Problema solucionado.

Aterro Sanitário Bandeirantes - São Paulo

Só que apenas a construção do aterro não resolve os problemas do lixo. A Política Nacional de Resíduos Sólidos ainda prevê o aumento da coleta seletiva, reciclagem e outras forma de destinação do lixo que não seja apenas o descarte nos aterros. Ora, lotar um aterro sanitário com latas de alumínio é pedir pra gastar mais dinheiro na construções de outro! Por isso em um lugar que tenha o aterro é preciso instituir uma ótima coleta seletiva e encaminhamento para reciclagem, para evitar que materiais recicláveis sejam levados ao aterro sanitário.

Dessa forma, latas, plásticos, vidros, papeis e todo tipo de material reciclável será levado para outros processos, deixando o aterro livre para o que não é reciclado, como alguns tipos de papel e plástico. Outro item que pode ser reaproveitado são os restos de alimentos, que podem virar adubo. Até mesmo o metano emitido nos aterros pode ser canalizado para gerar energia! Resumindo, fazendo tudo certinho, os resíduos lançados no aterro serão mínimos, fazendo com que ele tenha uma vida útil muito grande, por volta de 30 anos ou mais.

A coleta seletiva que deve haver em uma cidade também ajuda na geração de empregos. Catadores serão mais valorizados, já que irão trabalhar num lugar organizado, com toda a segurança para eles que mexem com o lixo. A prefeitura deve agir nisso também, dar todo o apoio aos catadores, pois são eles que vão em busca dos resíduos da população e o manipulam. Com a coleta, materiais mais agressivos, como pilhas e óleos, serão encaminhados para a reciclagem adequada e o óleo ainda pode voltar ao município como biodiesel para a frota municipal.

Por fim, outra meta básica que os novos governantes devem investir é na Educação Ambiental da população. Pois de nada adianta um aterro sanitário em uma cidade se a população não coopera com a coleta seletiva que ajuda no prolongamento da vida útil do mesmo. Atividades de conscientização nas ruas e escolas são essenciais para que a população se sensibilize a separar seu lixo e jogar fora somente aquilo que não pode mais ser reaproveitado de nenhuma maneira.


Em contrapartida, os cidadãos devem se mobilizar com isso também, pois são eles que geram os resíduos e eles devem se sentir responsáveis em encaminhá-los para o destino correto. Destino que a prefeitura deve se comprometer em fornecer ao seu município. Isso só trará benefícios, pois além da fama de cidade sustentável, a disposição correta dos resíduos ajuda no afastamento de animais que poderiam trazer doenças, como ratos. Taí outro bom motivo para agir em respeito com o meio ambiente e descartar corretamente o lixo, que talvez seja um dos maiores poluidores do mundo.

Meios para fazer existe, basta querer e querer respeitar a lei que diz que até 2014 só aterros sanitários poderão ficar no país. Infelizmente eu ainda penso, de forma bem pessimista, que essa data vai ser prorrogada por muitos motivos porque sempre acontece coisas assim. Mas espero que dessa vez as determinações de uma lei ambiental brasileira seja seguida corretamente, pois só trarão benefícios para as cidades e, por consequências, ao Brasil.
Metas para um candidato a prefeito #1 - Destinação final de resíduos Metas para um candidato a prefeito #1 - Destinação final de resíduos Reviewed by Túlio Lima Botelho on 12:13 Rating: 5

Nenhum comentário: