Zumbis na natureza #3 - Insetos suicidas

O apocalipse zumbi já começou! Pelo menos para os insetos sim... Se você tem acompanhado essa série, viu que eles podem ser forçados a abrigar larvas ou ser o "vasinho" de um fungo. Hoje, vamos conhecer o caso dos insetos forçados a cometer suicídio somente para que seu parasita se reproduza. E esse parasita não passa de um verme de alguns milímetros de diâmetro.

Os gordioides, vermes como esses aí do lado, pertencem ao filo Nematomorpha e são muito semelhantes aos nematódeos (filo da lombriga). Possuem poucos milímetros de diâmetro, mas podem chegar a 1 metro de comprimento. São também conhecidos como "horsehair", pois antigamente existia um mito de que esses vermes eram pelos de cavalo que criaram vida. A ordem Gordioidea é a que reúne os parasitas de artrópodes, principalmente os de água doce.

Só que eles não são parasitas a vida toda, somente em seu estágio larval. Imagine a cena: um grilo está saltitando por aí quando passa perto de um laguinho, sem perceber, ele acaba se infectando com ovos de algo que ele não conhece, mas que levará a comportamentos que ele nunca imaginou ter. Acredita-se que os ovos desse verme fica perto de corpos d'água e quando um inseto passa por lá acaba se infectando com ele.

Então, o grilo continua com sua vida de saltos sem se preocupar com nada, até que algo começa a ficar diferente nele. Ele começa a ficar com muita vontade de nadar, dar uns mergulhos. Até que um dia ele mata essa vontade e mata outra coisa também... Com o tempo, o nematomorfa começa a crescer dentro do inseto até chegar em sua idade reprodutiva. Só que esse verme só se reproduz na água e como ele pode ir lá se está dentro de um inseto terrestre? Para isso, essas espécies desenvolveram um mecanismo para fazer com que seus hospedeiros vão para algum corpo d'água.

Quando chega o momento certo, esses vermes secretam proteínas que começam a manipular o inseto hospedeiro. Essa manipulação faz com que o pobre grilinho perca o controle de suas ações e procure a água. Quando a encontra, o inseto dá seu mergulho final para morrer afogado e liberar o verme controlador. Uma vez na água, o nematomorfa sai pela cavidade anal do inseto e vai completar seu desenvolvimento.


Um fato curioso é que quando chega à água, o verme deixa de ser parasita para ser um indivíduo de vida livre, ou seja, vai ficar de boa em sua vida, sem fazer nada a ninguém. Na verdade, nem mesmo se alimentar ele vai, pois seu sistema digestório se degenerará. Ele só irá se reproduzir para, em seguida, bater as botas. Os ovinhos irão ficar por ali, só esperando outro inseto desavisado passar por ali e começar o ciclo novamente...

Atualização (24/10/2012): Passeando pelo Rainha Vermelha, achei um post sobre esse mesmo caso. Além de ser muito interessante, o post possui um vídeo do momento do suicídio do grilo e a saída do nematomorfo do corpo do coitado. Vale a pena assistir!

  

Para terminar essa série, que tal falar de um organismo que altera um pouco a mente de nós, humanos? Enquanto o T-vírus ainda não infecta ninguém por aí, vamos conhecer outro micro-organismo que de vez em quando da o ar da graça em alguma pessoas. Não perca!
Zumbis na natureza #3 - Insetos suicidas Zumbis na natureza #3 - Insetos suicidas Reviewed by Túlio Lima Botelho on 13:00 Rating: 5

Nenhum comentário: