Espécie do Mês - Tubarão-baleia

Imagine você mergulhando pelas águas quentes do litoral brasileiro e, de repente, um animal enorme passa por você. Não é uma baleia, nem uma arraia, mas um tubarão. E também o maior peixe vivo. Com vocês, o tubarão-baleia (Rhincodon typus).

(Photo credit: Wendell Reed via photopin cc)

Ao contrário de alguns de seus parentes, o tubarão-baleia não oferece risco ao ser humano. Dócil, esse peixe de até 20 m de comprimento e 15 toneladas, vive em todos os mares temperados e quentes do mundo (exceto no Mediterrâneo). No Brasil, o tubarão-baleia ocorre me todo o litoral, do Rio Grande do Norte a Santa Catarina. 

Apesar de todo o seu tamanho, esse peixe se alimenta de plâncton, peixes e lulas, filtrando a água que entra por sua boca. Ele localiza concentrações de alimento pelo olfato e abre sua enorme boca para devorá-lo. O peixe suga a água, que passa por um conjunto de grandes guelras que atuam como filtros, retendo o alimento. A água depois sai pelos arcos branquiais. Pesquisadores acreditam que caso algum alimento fique preso nas brânquias, o tubarão-baleia tosse para tirá-lo dali. Costuma alimentar-se também no período noturno, quando o krill e outras espécies de camarões estão mais ativas.

Fendas branquiais
(Photo credit: Oblivious Dude via photopincc)

Com maturidade sexual por volta dos 20 ou 30 anos, os hábitos reprodutivos deste animal ainda não são muito bem compreendidos. Acreditava-se que o tubarão-baleia era uma espécie ovípara, depositando seus ovos no leito oceânico. No entanto, em 1995, uma grande fêmea foi capturada e observada. Constatou-se que ela estava grávida de 300 filhotes. Desde então, considera-se que o tubarão-baleia é uma espécie vivípara, com desenvolvimento ovovivíparo. Os ovos permanecem dentro do corpo da mãe até o nascimento, quando ela dá a luz filhotes com cerca de 40 a 60 centímetros. 

Uma característica curiosa do corpo desses animais é a presença de manchas brancas e listras por toda a sua extensão. Algumas pessoas acreditam que elas ajudam na camuflagem contra predadores. Mas o tubarão-baleia, pelo seu modo de vida, não precisa se preocupar muito com eles. Outra hipótese é que elas possam atuar como um filtro solar, protegendo o peixe da radiação ultravioleta.

Embora a caça desse animal não seja mais permitida, ela ainda ocorre ilegalmente por pescadores asiáticos em sua maioria. Nesses países a carne de tubarão, e as famigeradas sopas de barbatanas, alimentam a caça ilegal deste peixe magnífico que pode viver mais de 100 anos.

________________
REFERÊNCIAS: 
100 Animais Ameaçados de Extinção no Brasil - Sávio Freire Bruno
How Stuff Works - Informações básicas sobre os tubarões-baleia
Portal Biólogo - Tubarão - tubarão-baleia
Espécie do Mês - Tubarão-baleia Espécie do Mês - Tubarão-baleia Reviewed by Túlio Lima Botelho on 13:30 Rating: 5

Nenhum comentário: