Espécie do Mês - Castanheira-do-Pará

Nessa época do ano, as castanhas estão entre os alimentos mais presentes nas ceias. Em meio a esses alimentos, um exemplar brasileiro costuma estar presente. A castanheira-da-Pará (Bertholletia excelsa), árvore que se destaca em meio à vegetação amazônica, atualmente encontra-se ameaçada de extinção em nosso país e somente ações de conservação da floresta amazônica e uso sustentável de seus produtos pode manter viva essa espécie.

A B. excelsa pode alcançar de 30 a 50 metros de altura e diâmetro de tronco de 1 a 2 metros. Há registro de castanheiras no Pará com mais de 50 m de altura e diâmetro de mais de 5 m. Acredita-se que ela pode viver mais de 500 anos.


Essa árvore possui o tronco reto, com os galhos se ramificando bem acima da metade de sua extensão. Vivem em matas de terra firme e crescem apenas na estação seca. Elas dependem de um ambiente intocado para reprodução, que ocorre de setembro a fevereiro. 

Suas flores são polinizadas por algumas espécies de insetos que são atraídas por causa de orquídeas que vivem perto das castanheiras. Esses insetos devem ser fortes para levantar o "capuz" da flor e uma língua comprida para alcançar o pólen.


Um fato curioso acontece com abelhas-das-orquídeas (Euglossa sp.). As orquídeas atraem os machos dessa espécie, de tamanho pequeno, que usam o odor da planta para atrair as fêmeas. Estas sim, de tamanho maior, irão polinizar as castanheiras. Sem essas orquídeas, a polinização dessas árvores é comprometida.

Seus frutos leva mais ou menos um ano para amadurecer e tem o formato parecido com o de um coco. Pesam aproximadamente 2kg e dentro dele são encontradas de 8 a 24 sementes, popularmente conhecidas por castanhas.


Muitos animais da floresta se alimentam dessas sementes, como micos e cutias. Esse roedor costuma enterrar as sementes da castanheiras para comer depois, só que muitas vezes acaba esquecendo onde as deixou. Depois de um tempo elas acabam germinando. Por esse motivo, os roedores que se alimentam das castanhas-do-pará são importantíssimos agentes dispersores de sementes e a sobrevivência dessa árvore também está associada à presença desses animais na região.

Além da alimentação, essa espécie é utilizada na indústria de tintas e cosméticos, além do uso medicinal. Sua madeira é de excelente qualidade, mas o corte é proibido no Brasil, Bolívia e Peru. Em nosso país, seus números estão diminuindo, sendo atualmente mais abundantes apenas na Bolívia e no Suriname.

Devido ao desmatamento e alterações na floresta, os números de B. excelsa só tendem a ficar ainda mais baixos. Somente com combate a essas práticas e o estímulo ao uso sustentável dos produtos florestais será possível manter viva essa espécie que se destaca dentre as inúmeras que habitam a Amazônia.

_____________________________________________

Pessoal, aproveito para desejar um imenso Feliz Natal  e um ótimo 2014 para todos. Muitas paz, saúde e vida a todos os habitantes deste planeta em que vivemos. Que no novo ano, muita coisa mude para que possamos alcançar aquele mundo que queremos viver: um mundo com menos violência, natureza preservada e um convívio sadio entre todos os seres vivos da Terra.
Espécie do Mês - Castanheira-do-Pará Espécie do Mês - Castanheira-do-Pará Reviewed by Túlio Lima Botelho on 16:30 Rating: 5

Nenhum comentário: