Espécie do Mês - Anta

Ela é grande, pode ser encontrada no Cerrado, Amazônia, Pantanal e Mata Atlântica. Muitas vezes usam seu nome para xingar alguém, mas mal sabem eles que esse animal é considerado muito inteligente, comparado com a inteligência de elefantes. Com vocês, a anta (Tapirus terrestris).

Fonte: photo credit: RayMorris1 via photopin cc

A anta é um mamífero da ordem Perissodactyla (único membro na América) e da família Tapiridae. Essa família reúne outras espécies de anta, como o tapir asiático. Com até 300 kg e aproximadamente 1m de altura, a anta Tapirus terrestris é a maior do grupo e o maior mamífero neotropical. Possui uma crina que vai do pescoço à cabeça, passando pelo topo do crânio. As fêmeas podem alcançar até 2,20 m de comprimento e os machos até 2,04 m. Na boca, ela apresenta uma probóscide, que caracteriza bem esse animal. Essa estrutura, preênsil e flexível, é sensível à umidade e a cheiros.

De hábitos crepusculares ou noturnos, esse animal habita regiões próximas à cursos d'água, onde se mostra boa nadadora. Alimenta-se principalmente de frutos, mas também pode comer folhas e brotos. Ao todo, foram registradas 42 espécies vegetais que estão na dieta deste animal. Por causa de sua alimentação ser frugívora, a anta é considerada "jardineira das florestas". Ela percorre grandes distâncias em seu habitat e nesse trajeto ela vai defecando as sementes que engoliu junto com os frutos. Dessa forma, ela é um importante agente na dispersão de sementes das espécies da floresta.

De hábitos solitários, as antas encontram outros de suas espécie apenas na época da reprodução. Nesse período, o macho lambe a vulva da fêmea e exibe o reflexo flehmen. A fêmea pode se mostrar relutante, mas após aproximadamente 4 horas ela cede e ocorre a cópula. A gestação dura cerca de 380 dias, nascendo um filhote após esse período. Esse bebê anta possui coloração diferente de seus pais: ele possui listras brancas horizontais pelo corpo, que ajudam na camuflagem. A medida que ele cresce, desenvolve a coloração típica das antas.

Macho fazendo o reflexo flehmen

Esses animais possuem alguns tipos de vocalizações. Quando está com dor ou medo, emite um guincho estridente; quando explora um novo local, sons de baixa frequência e curta duração; sons semelhantes a cliques são ouvidos quando antas e enontram e em casos de lutas, esses animais emitem bufos violentos. As antas também usam odores para a comunicação, utilizando a urina e secreções de glândulas localizadas na face.

Filhote de anta. Fonte: photo credit: Joachim S. Müller via photopin cc 

Para a IUCN, a anta está em estágio variável de conservação. No Brasil, sua situação varia de acordo com a região. Ele é considerada extinta no Nordeste, comum no Mato Grosso e vulnerável em São Paulo. Mesmo assim, é necessária a conservação de florestas, rios e outros habitats que a anta ocupa. Além da caça predatória e atropelamentos, a destruição de onde as antas vivem comprometem demais sua sobrevivência no país.

Para um animal considerado extremamente inteligente e com super memória, a anta é bem menosprezada ao usar seu nome como xingamento. Uma campanha do Instituto IPÊ ("Minha amiga é uma anta!") busca mudar esse conceito, mostrando que esse mamífero não é desprovido de inteligência e que é muito importante preservar esse mamífero, considerado o último remanescente da megafauna amazônica.
Espécie do Mês - Anta Espécie do Mês - Anta Reviewed by Túlio Lima Botelho on 10:03 Rating: 5

Nenhum comentário: