Luzes da natureza

Você já viu um vaga-lume? Na zona rural, à noite, é possível ver um montão desses insetos voando. Como é possível vê-los? Através da luz que eles emitem. São vários pontinhos luminosos que piscam na escuridão. E eles não são os únicos com essa capacidade. Muitos seres vivos emitem uma luminosidade, a chamada bioluminescência.


A bioluminescência é a emissão de luz fria pelos organismos. Está presente em vários grupos, principalmente nos de ambiente marinho. Em terra, os insetos possuem essa habilidade, como é o caso dos vaga-lumes. Algumas espécies de fungos também são bioluminescentes, criando uma imagem um tanto fantasmagórica.


A luz é gerada por reações químicas envolvendo pigmentos (as luciferinas) e enzimas catalisadoras (as luciferases). Nessas reações, as moléculas de luciferinas são oxidadas por oxigênio, produzindo moléculas eletronicamente excitadas que decaem emitindo luz.

A bioluminescência é muito presente em animais marinhos, como nas algas, que podem formar as chamadas marés lácteas durante a noite.


Numa população, a bioluminescência pode ter várias funções. Ela atua na camuflagem por contra iluminação de algumas espécies marinhas, fazendo com que um animal que esteja abaixo não veja sua presa acima dele. Cria-se uma ilusão que só há luz solar. Serve de atrativo durante o acasalamento, como no caso dos vaga-lumes. Eles piscam de forma periódica, criando padrões para atrair as fêmeas. A bioluminescência também age para atrair presas. Como exemplo, temos os peixes abissais. Eles possuem aquela "lampadazinha" que pendem de suas cabeças e emite luz. Essa luz atrai peixes que serão alimento.

Essas são apenas algumas, das muitas funções que a bioluminescência tem. É uma estratégia importante para os seres vivos. Que permite que eles continuem vivos e embelezando a natureza.
Luzes da natureza Luzes da natureza Reviewed by Túlio Lima Botelho on 13:00 Rating: 5

Nenhum comentário: