Mulheres na Biologia

A Ciência sempre foi feita por mulheres e homens que dedicaram suas vidas às pesquisas e a espalhar o conhecimento. Só que, infelizmente, as cientistas não recebem todo o destaque que merecem e ficam ofuscadas diante de um certo machismo científico.

No entanto, de Hipátia na Antiguidade a Marie Curie e tantas outras brilhantes cientistas do século XX, as mulheres sempre foram presentes na ciência, realizando grandiosas contribuições. Na área biológica isso não é diferente e grandes nomes mostraram seu valor. Conheçam algumas delas:


LYNN MARGULIS (1938-2011)


Bióloga estadunidense, Lynn Margulis propôs a teoria da endossimbiose. Essa teoria fala que as mitocôndrias de nossas células são nada mais do que bactérias que foram fagocitadas por uma célula maior num passado remoto, onde a vida ainda era unicelular e procariótica. Após esse evento, essas bactérias/mitocôndrias não foram digeridas e passaram a viver em simbiose com a célula que a "comeu". Esse processo foi essencial para melhores processos de produção de energia celular, cujas reações ocorrem nas mitocôndrias. Os cloroplastos possuem a mesma origem endossimbiótica também.

Lynn também atuou, ao lado de James Lovelock, na disseminação da Teoria de Gaia, que diz que a Terra é um "organismo vivo" e que os seres vivos a modificam ao mesmo tempo que essas alterações fazem pressão sobre esses mesmos seres.

Para saber mais sobre a teoria da endossimbiose, assista ao vídeo abaixo:



ROSALIND FRANKLIN (1920-1958)



Biofísica britânica, Rosalind Franklin foi pioneira na Biologia Molecular, realizando pesquisas sobre a forma do DNA. Ela trabalhou com difração de raios-X para a determinação da estrutura da molécula de DNA, concluindo que ele possui a forma helicoidal.

Seu trabalho permitiu a James Watson, Maurice Wilkins e Francis Crick confirmarem a existência da dupla hélice do DNA. Infelizmente ela não recebeu o Nobel em 1962 junto com eles, já que o prêmio não é atribuído postumamente.

Rosalind sofreu preconceito por ser uma mulher cientista, mas mesmo assim mostrou ser um pesquisadora de ponta, cujas pesquisas deram uma contribuição gigantesca para a compreensão do DNA e outras áreas em que ela trabalhou.




RACHEL CARSON (1907-1964)



Bióloga estadunidense, Rachel Carson se destacou com a publicação de Primavera Silenciosa. Nesse livro, marco do ambientalismo, a autora mostra os perigos do uso de agrotóxicos. Ela deixa claro que todo o ambiente sente esses efeitos, desde o solo e água que se contaminam e toda a cadeia alimentar é afetada.

Ela pesquisou bastante, para reunir argumentos convincentes e se preparar para os ataques dos fabricantes de pesticidas. E eles vieram: cientistas contestavam a legitimidade de seu livro pelo fato de Rachel ter apenas o mestrado, sem falar dos argumentos preconceituosos.

Doente e recebendo esses ataques, ela não parou sua campanha contra os agrotóxicos, porém faleceu antes de ver o DDT sendo proibido em vários países.



JANE GOODALL (1934)





Primatóloga britânica, Jane estudou chimpanzés em Gombe, Tanzânia, por 40 anos. Seus estudos contribuíram para o conhecimento sobre aprendizagem social, raciocínio e cultura dos chimpanzés selvagens.

Além disso, trabalhou na conservação de primatas africanos, reintroduzindo vários indivíduos na natureza.

Veja fotos e um resumo de seu trabalho nessa matéria da National Geographic.
Mulheres na Biologia Mulheres na Biologia Reviewed by Túlio Lima Botelho on 16:00 Rating: 5

Nenhum comentário: