Espécie do Mês - Tamanduá-bandeira

Pense num mamífero diferente. Ele tem um focinho bem incomum adaptado para seu tipo específico de alimentação. Ele está presente da América Central a do Sul, mas, infelizmente, suas populações vem diminuindo. Leiam hoje sobre o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla).

Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)

O tamanduá-bandeira ocorre nas Américas Central e do Sul, sendo encontrado em diversos habitats, de savanas a florestas, sendo muito comuns em campos abertos. Mede, em média, 2 metros e pode chegar a  45kg. Os machos são maiores que as fêmeas. A cabeça chegar a medir 30 cm, devido ao longo focinho. Possui audição e visão precários, porém isso é compensado pelo excelente olfato, 40 vezes mais apurado que o olfato humano.

Possui o corpo em cores escuras, com as patas dianteiras claras e faixas diagonais no corpo. A cauda é muito peluda. As patas traseiras possuem 5 garras e as dianteiras 3, que são utilizadas para cavar formigueiros e cupinzeiros. Mesmo com as grandes garras, eles são animais pacíficos, usando-as contra outro animal apenas para se defender.

Ele alimenta-se principalmente desses insetos, ingerindo 30 mil por dia! Sua anatomia é adaptada a esse tipo de alimentação, com o focinho longo e a grande língua de 60 cm. Ela tem uma saliva viscosa, útil para aderir os insetos. A digestão desses animais é auxiliada pela ingestão de porções de terra e areia. O próprio ácido das presas ingeridas é utilizado para fazer a digestão, já que o tamanduá não é capaz de produzir o seu próprio. Quando não encontram água na superfície, podem cavar para procurá-la.

Os tamanduás vivem solitários, sendo observados juntos com outros de sua espécie na época da reprodução, cuidado com os filhotes ou caso os machos briguem. O acasalamento pode ocorrer durante todo o ano, não ocorrendo em uma época específica. Durante a corte o macho segue e cheira a fêmea, podendo se alimentar no mesmo formigueiro. Eles podem copular várias vezes enquanto estão juntos. Depois de 185 dias, nasce um filhote, com cerca de 1,5 kg. A fêmea o carrega nas costas, o que ajuda a camuflar a cria na sua pelagem.

Mãe e filhote

A União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) classifica o tamanduá-bandeira na categoria de Vulnerável. No entanto, em Belize, Costa Rica e no Uruguai ele já esteja extinto. No Brasil, raramente é encontrado no sul do país e já é considerado extinto no Espírito Santo e no Rio de Janeiro.

Seus predadores naturais incluem grandes felinos, como a onça-pintada e a suçuarana, e aves de rapina podem predar os filhotes. No entanto, as principais ameaças à sua sobrevivência são a caça, atropelamentos e destruição do habitat. Em alguns países eles são caçados para a extração de garras ou por esporte. Atropelamentos vitimam muitos indivíduos anualmente e queimadas e desmatamentos também. Seu pelo é altamente inflamável e ele precisa de fragmentos de floresta para viver. A medida que elas desaparecem, infelizmente o tamanduá-bandeira desaparece junto.

Espécie do Mês - Tamanduá-bandeira Espécie do Mês - Tamanduá-bandeira Reviewed by Túlio Lima Botelho on 11:37 Rating: 5

Nenhum comentário: