Dica de vídeo - Cladística: reconstruindo a Evolução

No final de julho, o mundo ficou conhecendo um fóssil brasileiro de uma cobra com patas. O Tetrapodophis amplectus, como foi nomeado, viveu no Brasil há mais de 120 milhões de anos.

Fóssil de Tetrapodophis amplectus encontrado na Formação Crato, na Bacia do Araripe (CE) e a ilustração de como a espécies seria.
Fóssil de Tetrapodophis amplectus encontrado na Formação Crato, na Bacia do Araripe (CE) e a ilustração de como a espécies seria. Fonte: G1.

Esse achado gerou novas ideias sobre a evolução dos ofídios. Até então, a linhagem evolutiva das cobras, de modo simplificado, seria: lagartos evoluíram para lagartos com corpos de serpentes e patas e, posteriormente, cobras (com a perda das patas). Álamo Feitosa, diretor do Geopark Araripe, explica as implicações desse achado: “É o primeiro fóssil de cobra com quatro patas e cinco dedos. Isso muda a história evolutiva das cobras. Conhecia-se apenas três estágios e agora, eles são quatro”.

E falando em história evolutiva, para entendê-la é preciso conhecer os diversos mecanismos e formas de estudo e classificação. A Cladística é uma delas, que classifica os seres vivos de acordo com suas relações evolutivas. Para entendê-la melhor, assista o vídeo abaixo, do Canal do Pirula.

Dica de vídeo - Cladística: reconstruindo a Evolução Dica de vídeo - Cladística: reconstruindo a Evolução Reviewed by Túlio Lima Botelho on 14:00 Rating: 5

Nenhum comentário: