Sobre o Cuidado da Casa Comum

Para os fieis da Igreja Católica e outras igrejas cristãs que adotaram a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016, essa frase, Sobre o Cuidado da Casa Comum, não é novidade. Ela vem da Encíclica Papal Laudato Si' Louvado Sejas - sobre o cuidado da casa comum, um documento que alerta os fies da Igreja sobre a realidade do planeta e o que precisa ser feito para melhorar o meio ambiente.

Pode parecer estranho, num blog onde já falei de Evolução, falar de algo voltado à igreja. Mas essa campanha, assim como a sobre a Água (2004), Amazônia (2007) e Vida no Planeta (2011), trata de assuntos urgentes à população brasileira e mundial. Muitos pessoas podem não prestar a atenção no que um ambientalista ou cientista fala sobre preservação do planeta, mas quando seu círculo religioso trabalha esse tema, a mensagem é captada.

O grande objetivo dessa campanha é alertar sobre a falta de saneamento básico e assegurar que novas políticas e ações garantam esse direito à todas as pessoas. Como todos sabem, num local onde existe o saneamento básico, a incidência de doenças é muito baixa. O esgoto tratado, água de qualidade chegando às torneiras, lixo coletado e descartado corretamente, tudo isso é saneamento básico que faz bem à saúde das pessoas e da Terra.

O Brasil clama por medidas urgentes. Estima-se que:


  • 17,5% da população brasileira ainda não é atendida com o tratamento de água. Pode parecer pouco, mas é uma parcela que está exposta aos riscos que a falta de tratamento de água pode oferecer;
  • Mais de 100 milhões de pessoas não têm acesso à coleta de esgoto;
  • Apenas 39% dos esgotos são tratados;
  • Diariamente são despejados na natureza o equivalente a 5 mil piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento;
  • 10,6% dos domicílios não são contemplados pelo serviço público de coleta de resíduos sólidos;
  • O Brasil gera aproximadamente 150 mil toneladas diárias de resíduos sólidos; 
  • Cada pessoa gera em média 1 Kg de resíduos sólidos diariamente.

Outro aspecto da falta de sustentabilidade que a Campanha aborda é o desperdício desenfreado. São toneladas de alimentos desperdiçados diariamente, grande parte ainda bons para uso. Sem falar do desperdício de água.

E a solução para tudo isso está bem aí, na nossa cara. Não cabe apenas aos governantes corrigir os problemas do mundo. Lógico que Planos de Saneamento é de responsabilidade daqueles que elegemos, mas as ações no dia-a-dia, aquelas pequenas coisas que muitos acham insignificante, são o segredo para um mundo melhor.

Comece repensando como você usa os alimentos e outros itens em sua casa. Vai realmente precisar de tudo aquilo? Compre apenas o necessário, isso evita o desperdício. Fez muita comida e não aguenta mais comer? Doe para alguém que não tem alimento. Ah, no seu bairro não tem pessoas assim? Compartilhe o alimento com os vizinhos! Isso fortalece os laços de amizade. A comida em boas condições não deve ser jogada fora.

O mesmo vale para a água. Recentemente, os jornais só noticiavam os baixos volumes nos reservatórios e as pessoas sem água. A lama no Rio Doce também deixou milhares sem ter o que beber. É difícil perceber que ela é um bem inestimável? Vamos economizar. É bom para o meio ambiente e para o bolso também.

E agora voltamos a falar do lixo. Separe seus resíduos para o serviço de coleta pegar. Jogar em terrenos baldios só trará doenças para a vizinhança. É imprescindível agir em conjunto para cuidar da nossa casa comum. Onde cada um faz sua parte, não há problemas.

O alerta já está sendo dado há anos. E mais uma campanha de conscientização está sendo feita. Olhe com atenção para isso. Independente de sua crença, a necessidade de um mundo sadio é urgente para todos: cristãos, muçulmanos, judeus, hindus, budistas, umbandistas e praticantes de todas as religiões que existem na Terra. Quando todos agem por um propósito, ele é alcançado...

Sobre o Cuidado da Casa Comum Sobre o Cuidado da Casa Comum Reviewed by Túlio Lima Botelho on 17:30 Rating: 5

Nenhum comentário: