A História da Origem da Vida #2 - Hipóteses sobre o começo de tudo

No último post, vimos que até o século XIX existiam duas correntes de pensamento sobre a origem da vida na Terra. Nas inúmeras discussões entre a abiogênese e a biogênese, a segunda hipótese saiu vencedora, mostrando que um ser vivo sempre vem de outro pré-existente.

Tudo bem, essa questão foi resolvida, porém outra começava a surgir: se um ser vivo sempre vem de outro que existia antes dele, como surgiu o primeiro ser vivo, há 3,5 bilhões de anos? Três possibilidades foram levantadas para responder essa questão:

PANSPERMIA (origem extraterrestre)

Fonte: Só Biologia.
Segundo essa hipótese, a primeira forma de visa terrestre não teria surgido na Terra, mas sim de outros planetas. Essa forma de vida ancestral teria chegado a nosso planeta sob a forma de esporos e outras formas de resistência, aderidos a meteoritos que sempre caem por aqui.

No entanto, essa hipótese não é muito esclarecedora, já que não explica, de fato, a origem da vida. Ela explica como a vida começou na Terra, mas não como ela surgiu nos planetas de onde os esporos vieram.

CRIACIONISMO (origem por criação divina)

É uma hipótese de cunho religioso, onde uma divindade teria criado cada ser vivo individualmente e, do jeito que foram criadas no início, permanecem até hoje. É o que se chama de imutabilidade das espécies.



ORIGEM POR EVOLUÇÃO QUÍMICA

É a hipótese mais aceita pelos cientistas atualmente, que diz que a vida teria surgido de moléculas presentes na Terra primitiva que se associaram entre si, formando substâncias cada vez mais complexas. Essas substâncias, com o tempo, originariam os primeiros seres vivos.

Essa hipótese foi proposta por dois cientistas - Alexander Oparin e John Burdon Haldane - na década de 1920. Trabalhando de forma independente, os dois pesquisadores chegaram a conclusões semelhantes de como a vida teria surgido na Terra.

De acordo com as suas ideias, a Terra primitiva era um ambiente inóspito. Não existia uma atmosfera com oxigênio. As erupções vulcânicas ocorriam com muita frequência. Tempestades de raios também eram frequentes e a temperatura era muito alta. Só que nesse ambiente, diversas moléculas vindas das erupções dos vulcões começavam a formar a atmosfera. Acredita-se que a atmosfera primitiva era composta, basicamente, por metano, amônia, gás hidrogênio e vapor d'água. Sob forte influência das radiações solares e das descargas, essas moléculas conseguiam energia suficiente para se unirem, dando origem a moléculas orgânicas mais complexas.

Nesse período, a Terra passava por uma época de resfriamento. O vapor d'água começava a de condensar nas depressões da crosta do planeta. Com as chuvas que começaram a cair, aquelas moléculas orgânicas que estavam na atmosfera foram arrastadas para os mares primitivos, ainda quentes e rasos. Esses mares, ao longo dos anos, formaram o que hoje se chama "sopa nutritiva".

Nessa "sopa", as moléculas orgânicas foram se agregando, dando origem a compostos chamados coacervados. Esses coacervados não eram seres vivos, mas conjuntos de moléculas orgânicas envoltos por moléculas de água. Mas eles se diferenciavam de outros compostos por ser um sistema semi-isolado, onde havia troca de substâncias com o meio externo e possibilidade de inúmeras reações em seu interior.


TESTANDO A HIPÓTESE

A hipótese de Oparin e Haldane foi testada pela primeira vez em 1953, por Stanley Miller e Harold Urey, na Universidade de Chicago. Os pesquisadores construíram um aparelho para recriar a atmosfera da Terra primitiva e ver se os compostos orgânicos seriam formados.

No aparelho, Miller introduziu os componentes que possivelmente formaram a atmosfera terrestre primitiva: amônia, metano, hidrogênio e vapor de água. Também coram incluídos fios elétricos para simular as descargas elétricas de tempestades e a fonte de calor.

A água, ao ser fervida, se transforma em vapor que circula pelo sistema. No balão onde o vapor de água se mistura com os outros gases, descargas elétricas ocorrem. Depois, a mistura de gases é submetida a um resfriamento para simular a queda das temperaturas da Terra e as chuvas que aconteceram em seguida.

Na parte em formato de U do aparelho, a "chuva" formada no experimento se depositou. Analisando a água contida nessa parre em U, verificou-se a presença de moléculas orgânicas, como os aminoácidos.

Com esses resultados, viu-se que a hipótese de Oparin e Haldane é plausível, já que os compostos que eles previram surgiram no experimento de Miller.

Só que ainda não se sabe como a primeira célula se formou. Acredita-se que sistemas semelhantes aos coacervados surgiram. Eles seriam envoltos por membranas de lipídios e proteínas. Esses sistemas também possuiriam ácidos nucleicos, que permitiria sua reprodução e regulação de funções internas da célula que começava a surgir. 
A História da Origem da Vida #2 - Hipóteses sobre o começo de tudo A História da Origem da Vida #2 - Hipóteses sobre o começo de tudo Reviewed by Túlio Lima Botelho on 10:00 Rating: 5

Nenhum comentário: